CineCultinho | PET – PPC Apresenta: Hilda

No mês das crianças, o CineCultinho irá exibir a animação Hilda, uma produção cheia de aventuras.

Hilda é uma menina de cabelos azuis que vive em seu dia a dia grandes desafios, o seu mundo é repleto de criaturas mágicas e amizades inesquecíveis. Hilda é confiante e embarca em uma fantástica e divertida jornada de muitas descobertas.

A animação é uma daquelas realizadas para crianças, mas que acaba chamando a atenção também do público adulto por sua leveza e carisma da personagem principal e, é claro, que você não vai ficar de fora dessa.

Logo depois da exibição, haverá um aulão de capoeira, hapkido e yoga, então, chama a família, os amigos e amigas e vem participar desse dia especial com a gente!

INFORMAÇÕES:

  • Quando: Sábado, 20 de outubro de 2018, às 14h30.
  • Onde: Unipampa
  • Título original: Hilda
  • Duração: 24 minutos
  • Classificação: Livre

CineCultinho Hilda (2)

Anúncios

Devolutiva grupo de estudos “Por onde andam as políticas publicas para a população LGBT no brasil?”

No dia 22 de junho de 2018, realizou-se mais uma rodada do Grupo de Estudos promovido pelo PET-PPC. Desta vez a temática abordada foi para o público LGBT com o artigo “Por onde andam as políticas públicas para a população LGBT no Brasil?”, de autoria de Luiz Mello, Rezende Bruno de Avelar, Daniela Maroja. A apresentação ficou a cargo do petiano Renato Vieira e o debate de outros dois integrantes: Camilla Lourenço e Beto Carso. A mesa composta exclusivamente por pessoas lgbts, discutiu assuntos pertinentes em relação a atual escassez de políticas publicas e ações afirmativas para esta população, historicamente marginalizada pela sociedade.

O artigo traz, ainda, uma reflexão sobre quando e como o assunto entrou em pauta para o poder público. Destaca-se que as iniciativas se deram após anos de discussão, sendo minimamente concretizado a partir dos mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na era compreendida entre 2002 e 2014, em especial em seu segundo mandato.

O texto propõe principalmente uma análise sobre efetividade dos planos, programas e conferências produzidos e realizados pelo governo federal, abordando em majoritariamente quatro documentos que discutem o fomento dos direitos humanos e cidadania desse publico, tais como o “Programa Brasil Sem Homofobia”, os “Anais da I Conferência Nacional LGBT”, o “Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT” e o “Programa Nacional de Direitos Humanos 3”.

Analisa criticamente tais propostas destes documentos, a partir de entrevistas feitas com gestores nas esferas municipais e estaduais, além de representantes diretos da sociedade civil. A partir destas análises percebe-se o quão carente somos de políticas públicas e o quanto as descontinuidades destas ações influenciam para uma sociedade menos justa, menos segura e com menos direitos igualitários para todas e todos. O momento de debate nos fez perceber que não há duvidas de que estes documentos, formalizados para ações, são compromissos do Governo Federal (independe de sua gestão), com intuito de assegurar direitos civis à população LGBT no Brasil, além de querer-se equiparar socialmente todos indivíduos perante território nacional.

WhatsApp Image 2018-08-28 at 22.49.34WhatsApp Image 2018-08-28 at 22.49.35

Oficina Mambembaria de Teatro

WhatsApp Image 2018-08-28 at 12.14.18

Respeitável público!

Senhoras e Senhores!

Ladies and gentlemen!

É com muito prazer que o PET-PPC lança a 1° Edição do Oficina MAMBEMBARIA de Teatro. Abraçando os três pilares fundamentais para a academia o ensino, a pesquisa e a extensão, o projeto é idealizado pelo petiano e ator Renato Vieira em coletivo com todo o grupo PET-PPC, com a ideia de difundir o fazer teatral na nossa Jaguarão! A proposta é que, além da comunidade acadêmica, a comunidade externa participe desta atividade e se familiarize com a arte de atuar. Poderão se inscrever jovens e adultos a partir de 16 anos, independente de classe social, gênero ou etnia, que terão contato com técnicas de atuação e voz, leituras e interpretações textuais e formas de expressar corporalmente. Para ministrar as oficinas, foram convidados 4 alunos-professores do curso de Licenciatura em Artes Cênicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) que, ao final, como culminância desta atividade, irão dirigir um espetáculo (ou conjunto de cenas) produzidas pelos participantes da oficina MAMBEMBARIA. Uma peça teatral voltada para a rua e livre para todas as idades.

Para participar desta atividade, que é totalmente gratuita, os interessados deverão se inscrever no link abaixo:

https://goo.gl/forms/g4GcnbpRWj8TQ6iK2

II Semana LGBTQ+ | Toda Cor tem em si uma luz, uma certa magia

LGBTQ+ (1)

Durante o mês de junho comemoramos a Semana do Orgulho Gay em todo o mundo. Vindo ao encontro deste arco-íris de energia, nós do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Produção e Política Cultural da Unipampa, abraçamos esta causa e apresentamos a II SEMANA LGBTQ+.

A luta em prol dos direitos e espaços da comunidade LGBT cresce e ganha força, mas ainda assim, o Brasil é o país que mais mata e violenta lgbt’s no mundo inteiro. Segundo a Rede TransBrasil e o grupo Gay da Bahia (GGB), a cada 19 horas um membro desta comunidade é morto no país.

Sim! Esses números são alarmantes e continuam crescendo cruelmente com o passar dos anos. Em pleno 2018, a homofobia ainda não é caracterizada como um crime.

E nós, do grupo PET-PPC, sabemos o quanto podemos instigar este debate dentro do nosso contexto universitário, comunitário e na cidade de Jaguarão, que assim como tantas outras cidades do estado e do Brasil, estão sofrendo com atos de violência e discriminação contra a população LGBTQ+.

Com isso, apresentamos neste mês, a II Semana LGBTQ+, contando com uma programação diversa e atividades artísticas e socioculturais, políticas, informativas, com muita alegria.

A II Semana LGBTQ+ ‘’Toda Cor tem em si, uma luz uma certa magia’’ acontece de 25 a 29 de junho de 2018 na Unipampa. Confira a programação:

Programação II Semana LGBTQ+ (1)-min

Link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/221914578408327/

DEVOLUTIVA GRUPO DE ESTUDOS “MULHER, NEGRA, FAVELADA E PARLAMENTAR: RESISTIR É PLEONASMO” DE MARIELLE FRANCO.

32846958_992591964239086_4515466012123987968_n

No dia 18 de maio de 2018, o Grupo de Estudos em Políticas Culturais abordou o ensaio de Marielle Franco “Mulher, negra, favelada e parlamentar: resistir é pleonasmo”, apresentado pelas bolsistas Karina Constantino e Êmily de Araújo e debatido pelos bolsistas Roberto Carso e Tiago Godoy. O texto, que traça um panorama do golpe de 2016, pontuando as opressões enfrentadas por uma mulher ocupando um espaço de poder e evidenciando sua trajetória como vereadora da cidade do Rio de Janeiro, compõe a publicação da coleção CULT “O Golpe na perspectiva de gênero”, organizado por Linda Rubim e Fernanda Argolo.

A análise integra a seguinte conjuntura: Michel Temer como presidente interino e Marcelo Crivella, bispo ligado a uma das maiores instituições religiosas do país, como atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, município onde a vereadora negra e socióloga com origem na favela da Maré, enfrentava a problemática de um discurso patriarcal, sistemático, conflituoso em detrimento de a uma política balizada nas relações de gênero, raça e classe.

O ensaio evidencia o grande entrave gerado por alianças políticas firmadas entre partidos que não compartilham da mesma ideologia, uma dicotomia marcada pela peleja: de um lado os interesses das classes dominantes construídos sobre pilares moralistas e tradicionais sistematicamente estabelecidos e de outro, estratégias que buscam romper o avanço do capital e desenvolver uma sociedade pautada em razão das diferenças e da dignidade humana.

Mesmo se tratando de um texto que discute a triste e recorrente situação de uma sintomática político-social que oprime mulheres, populações negras e indígenas e promove a violência nas periferias através de mecanismos institucionais, principalmente com políticas públicas, que deveriam promover e evidenciar uma sociedade mais justa e igualitária, as palavras de Marielle Franco carregam o otimismo que nos aponta para uma utopia que devemos buscar como fonte, uma força para continuar resistindo e defendendo àquilo que já deveria ser universalmente óbvio, quando se trata dos direitos à vida.

WhatsApp Image 2018-06-07 at 20.05.51WhatsApp Image 2018-06-07 at 20.05.11

PET-PPC em parceria com o CAPS exibe a exposição “Metamorfose” na Galeria Intercultural Magliani

33965179_382387992258581_9041886102113222656_n

Neste mês de Junho, entre os dias 8 e 22, o PET-PPC, em parceria com o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e a Galeria Intercultural Magliani (GIM), exibe a exposição Metamorfose. Abertura da exposição acontecerá nesta sexta-feira (08), às 9h.

Compõe a exposição Metamorfose, obras produzidas nas oficinas de arteterapia do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS, ministradas pelo arteterapeuta Gilberto Isquierdo, sendo também o responsável pela curadoria realizada em conjunto com os artistas. O projeto foi idealizado pela discente Karina Brisolla no componente curricular Projeto Cultural III do bacharelado em Produção e Política Cultural da UNIPAMPA sob orientação da professora do curso e tutora do PET-PPC, Carla Rabelo. A metodologia e teoria utilizadas foram a da mediação cultural e da horizontalidade na construção de projetos compartilhados.

Metamorfose significa mudança, transformação, sendo este o objetivo da arteterapia enquanto uma prática de reabilitação psicossocial, gerar algum tipo de mudança através do contato com a arte, funcionando como instrumento de inclusão social.

Objetivando mostrar que essas pessoas existem e produzem, a exposição é entendida enquanto um vetor para que os artistas usuários sejam vistos e ouvidos, instigando a autonomia e protagonismo e desmistificando o imaginário relacionado as pessoas com transtorno mental.

A exposição surge a partir da parceria entre o Grupo de Educação Tutorial – Produção e Política Cultural (PET – PPC), o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), que constroem o projeto de maneira coletiva, e a Galeria Intercultural Magliani (GIM), que abre suas portas para receber as obras e colabora para a realização da exposição.

II Semana LGBTQ+: Prêmio Salto de Ouro | Confira o edital e participe!

 EDITAL SALTO DE OURO

No dia 29 de junho de 2018, o PET – PPC realizará na Unipampa – Jaguarão, a segunda edição do Prêmio Salto Ouro, a atividade mais glamourosa da II Semana LGBTQ+, também realizada pelo grupo e que acontecerá entre os dias 25 e 29 de junho.

Com um caráter competitivo simbólico, o Salto de Ouro busca fomentar e propagar a cultura Drag Queen em Jaguarão – cidade que possui longa história com o tema – e também em âmbito acadêmico, promovendo visibilidade, projeção e conscientização contra as mais variadas formas de homofobia.

Com a temática “Toda cor tem em si uma luz, uma certa magia”, esperamos a inscrição de todas e todos que quiserem participar, homens, mulheres, TRANS, Travestis, Gays, Lésbicas e simpatizantes. Se você tem mais de 18 anos, vem com a gente brilhar!

Aqui, no edital do II Prêmio Salto de Ouro, você vai encontrar todos os detalhes para a realização da inscrição, da apresentação e também sobre a premiação.

E para saber mais sobre as performances Drag Queen, não deixe de ver o vídeo realizado pelo projeto DRAG-SE, grupo formado por drags cariocas:

Saiba mais sobre o projeto Drag-se aqui.

Exposição Poéticas Visuais | PET – PPC exibe fotografias do projeto na Galeria Intercultural Magliani

IMG_20180508_152153
Exposição Poéticas Visuais

A Galeria Intercultural Magliani (GIM), na Unipampa, durante este mês, abriga a exposição de um dos projetos do PET – PPC, o Poéticas Visuais. A exposição compõe as atividades que celebram os dez anos de criação da Universidade.

O Poéticas Visuais foi idealizado pela tutora do grupo e existe enquanto uma manifestação do olhar poético dos estudantes sobre a cidade de Jaguarão. Executado através do Facebook, o projeto já conta com mais de cem fotografias e demonstra a beleza nos traços corriqueiros do dia a dia.

A curadoria da exposição foi realizada pela ex-bolsista Damaris de Lima, graduada em 2017 no bacharelado em Produção e Política Cultural. A escolha das fotos priorizou a vida em Jaguarão e o cotidiano universitário.

Dez autores compõem a exposição que conta com um total de quinze fotografias.

Crismara Gaia, formada pelo curso de Pedagogia, fez um belíssimo registro de um dos maiores mascotes da Unipampa, o pequeno Gigante. Do curso de Produção e Política Cultural, Milena Cristina Almeida, que formou-se com um TCC sobre diretoras de cinema, exibe marcas da resistência da mulher. Bruno Lamas, faz um recorte visual de um de seus curta-metragens, e demonstra a poética em uma taça de vinho. Emily Edwards e Greicymarri Ávila valorizam o pôr do sol jaguarense, uma das maiores belezas da cidade. Um pássaro vive o paradoxo da liberdade na fotografia do ator Breno Santareno. Thaís Fernanda Raposo desce o seu olhar por uma rua típica de Jaguarão, que para os que não são daqui, sempre geram memórias. Niel Nie traz a poética das pixações (filosofias) locais. Um pássaro contemplativo, um gato de olhar certeiro e a semana da consciência negra representam de alguma forma o que Luis Atila levou de Jaguarão após terminar a graduação e voltar para casa. Camilla Lourenço transita o seu olhar pelo movimento de resistência, de pessoas e da natureza.

A exposição mostra a beleza de viver em Jaguarão. A poesia está por todos os lados, às vezes só é preciso um incentivo para enxergá-la. Esse é o Poéticas Visuais.

WhatsApp Image 2018-05-09 at 15.32.29WhatsApp Image 2018-05-09 at 15.32.293

Abaixo algumas das fotos presentes na exposição:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Devolutiva |Grupo de Estudos em Políticas Culturais – Em tempos de crise: o MinC e a politização do campo da cultura

No dia 04/05, sexta-feira, aconteceu o segundo encontro do grupo de estudos em políticas culturais do PET – PPC, em 2018. O texto debatido foi “Em tempos de crise: o MinC e a politização do campo da cultura“, do autor Alexandre Barbalho. A apresentação ficou a cargo do petiano Thiago Godoy e da petiana Athemis Fonseca.

O texto de fácil interpretação retrata o nosso mais atual momento de autoritarismos no âmbito da política cultural. Baseado em notícias de jornais como a Folha de São Paulo e O Globo, Alexandre Barbalho contextualiza e analisa os acontecimentos de 2016 relacionados ao Ministério da Cultura, sua rápida extinção, tentativa de transformação em secretaria e a sua recriação.

O desenrolar dos eventos ocorre a partir do momento em que há o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e o governo interino de Michel Temer assume a presidência da República Federativa do Brasil, tomando atitudes que levam o país a um retrocesso de 30 anos. Barbalho atualiza o período histórico político fazendo uma reflexão e comparação entre o período Collor e o atual governo de Michel Temer. O autor ressalta que a resistência do campo cultural em 2016, foi muito mais intensa em comparação ao que o ocorreu durante o governo Collor, e foi exatamente esse fato que permitiu a sobrevivência do MinC.

Segundo análise do autor, a maior politização e organização do campo da cultura, fatores que permitiram o combate aos recentes ataques realizados pelo governo, veio posteriormente ao sistema implementado pela gestão do ex-ministro Gilberto Gil. Barbalho ressalta as políticas culturais implementadas por essa gestão, um processo que contemplou o campo cultural a partir de uma administração voltada à questão popular.

Os agentes do campo da cultura, artistas, intelectuais, produtores culturais, associações e movimentos culturais possuem total protagonismo na luta pela não extinção do MinC, um reflexo político corresponsável pela participação ativa destes agentes na luta pela democracia.

Após a apresentação do texto deu- se início ao debate provocado pelas debatedoras, as bolsistas Karina Brisolla e Natalia Ney. As provocações acerca do tema foram das mais diversas, levando também em consideração a atual conjuntura em que se encontra o MinC e como este tem se posicionado diante dos interesses e necessidades dos agentes e instituições culturais.

IMG_1981

31531223_985399111625038_4579420905544876032_n

IMG_1979

Devolutiva | Oficina de Currículo Lattes

free coffeemondays (2)

Divulgação – Oficina Currículo Lattes

Na manhã do dia 13 de abril de 2018, o PET PPC realizou uma Oficina de Currículo Lattes, ministrada pela tutora do grupo, a professora Carla Rabelo.

A oficina teve como objetivo elucidar dúvidas sobre a plataforma. Estiveram presentes alguns calouros e também veteranos.

Em formato expositivo, a professora abriu em tempo real a plataforma Lattes e fez apontamentos sobre as abas de construção do currículo, permitindo que os alunos presentes tirassem suas dúvidas, sendo possível alterar e atualizar seus currículos durante a oficina. O currículo do pesquisador da UFBA Albino Rubim foi usado como exemplo para ilustrar os itens.

O momento também foi mais uma oportunidade de esclarecer dúvidas sobre o edital vigente para futuros bolsistas do PET-PPC. Na ocasião, houve novamente o reforço que o lattes não seria um critério de avaliação como foi amplamente divulgado entre os discentes do curso de Produção e Política Cultural, mas que seria importante para a caminhada de calouros e veteranos como forma de registro de suas atividades acadêmicas. Por fim, abriu-se espaço para sanar as últimas dúvidas sobre o edital do PET-PPC.

WhatsApp Image 2018-05-03 at 18.06.29WhatsApp Image 2018-05-03 at 18.06.30